A Política de Investimentos é um documento obrigatório, conforme Resolução CMN nº 4.661/18, de periodicidade anual que apresenta diversas informações. Dentre elas, destacam-se:

1. critérios de alocação de recursos entre os segmentos de renda fixa, renda variável e empréstimos aos participantes;

2. objetivos específicos de rentabilidade para cada segmento de aplicação;

3. limites utilizados para investimentos em títulos e valores mobiliários de emissão e / ou coobrigação de uma mesma pessoa jurídica;

4. limites utilizados para realização de operações com derivativos;

5. avaliação do cenário macroeconômico de curto, médio e longo prazo.

Estas informações auxiliam na avaliação dos recursos das carteiras de investimentos; na escolha das instituições financeiras que vão administrar as carteiras e na avaliação dos limites de risco de mercado e de crédito, entre outras. Para o participante do plano, o benefício deste documento é o aumento da segurança dos investimentos e a possibilidade de acompanhar mais de perto e com maior clareza o desempenho das aplicações à luz de parâmetros pré-estabelecidos.